E se o fim de semana tivesse três dias e não apenas dois? E se as sextas-feiras (ou as segundas-feiras) fossem incluídas entre os dias de descanso e a semana de trabalho durasse apenas quatro dias?

Além de ter mais 24 horas para relaxar, que tipo de consequências isso poderia ter para o planeta Terra?

Photo by Unsplash

Atualmente, economistas argumentam que a redução do horário de trabalho é uma ação ecológica. Isto ocorre porque a diminuição da circulação de pessoas e o consumo de energia nas estações de trabalho também ajudariam a reduzir a quantidade de emissão de dióxido de carbono no ar.

O movimento, portanto, seria uma boa maneira de ajudar a melhorar a qualidade do ar que respiramos e, é claro, da atmosfera.

Photo by Unsplash

Outro ponto positivo que podemos referir é o bem-estar físico e mental das pessoas. Com longas horas de trabalho e horas extras constantes, vemos casos cada vez mais frequentes de profissionais que atingiram o esgotamento psicológico e emocional devido ao excesso de trabalho.

Especialmente quando falamos sobre a geração milenar, pessoas nascidas entre 1981 e 1996, vemos uma geração conhecida como “geração de exaustão”. O nome refere-se à síndrome psíquica que resulta da exaustão completa do corpo e da mente.

Já se falou da tentativa sueca de reduzir o dia útil de oito para seis horas por dia, sem reduzir os salários. Um ano após o início das medidas, as autoridades garantiram que havia maior produtividade e melhoria da saúde dos funcionários.

Sem mencionar a redução do número de faltas.

Photo by Unsplash

Repensar as relações de trabalho é uma das principais engrenagens para o meio ambiente respirar melhor e para termos mais qualidade de vida! Era bom que isso fosse implementado, porque perdoem-me os mais sensíveis, somos escravos e muitas vezes nem nos apercebemos!

O que achas desta proposta? Deixa o teu comentário abaixo!!!!

Photo by Apostolos Vamvouras on Unsplash

Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM



COMENTÁRIOS