Sergio Padilla formou-se recentemente em enfermagem e se dedicou a trabalhar para a pandemia, tornando-se um verdadeiro herói. “Lembre-se de mim pelo que eu fui”, diz ele nos seus últimos momentos.

A pandemia de coronavírus infelizmente levou muitas pessoas com ela, e aqueles que sobrevivem de uma condição crítica, é apenas graças ao esforço gigantesco feito por milhares de funcionários de saúde em todo o mundo. Funcionários que também são vulneráveis ​​à infecção do vírus.

Sergio Padilla era um enfermeiro que desistiu de tudo para salvar a vida de seus pacientes. O jovem oficial de 28 anos morreu em 5 de novembro de COVID-19, mas não antes de deixar uma mensagem emocionante: “Chegou a hora da verdade.”

Originário da cidade de Cuauhtémoc, em Chihuahua. Sergio Padilla era recém-formado em enfermagem pela Universidade Autônoma de Juárez. Rapidamente se dedicou a trabalhar no Departamento de Enfermagem da Diretoria Municipal de Segurança Pública de Cuauhtémoc, para enfrentar a crise do coronavírus. O valente jovem acabou se infectando.

Os sintomas não melhoraram em Padilla, que precisou ser intubada. Foi lá que ele decidiu gravar um testemunho em vídeo.

“Pois bem, chegou a hora da verdade. Vou fazer intubação endotraquial, quero que, aconteça o que acontecer, seja qual for o prognóstico que Deus tem para mim, eles sempre se lembrem de mim por quem fui e por quem sou. Porque estou voltando. Não é um adeus. Tenho certeza que voltarei em poucos dias, só que me recupero e vamos seguir em frente”.

–Sergio Padilla em vídeo–

Embora Sergio tivesse confiança na superação da doença, como muitos de seus pacientes, a vida não funcionou a seu favor e o atendimento à saúde pública tornou-se um sacrifício que já está sendo visto como um caso a ser assumido pela população. consciência.

Nas redes sociais já é possível ver comentários de pessoas perguntando que isso não foi em vão, outros agradecem infinitamente e apreciam tudo o que puderam fazer para salvar os outros.

“Podemos aprender muito sobre a morte de Sergio, um jovem muito profissional, gentil e prestativo que está sempre preocupado em proteger a saúde da polícia, secretários e pessoas detidas aqui na segurança pública e, claro, expressamos nossas mais sinceras condolências a toda sua família , apoiando-os neste momento difícil”.

–Juan Carlos Renteria Villegas, diretor administrativo da Direcção de Via Pública e Segurança de Cuauhtémoc-

Sem dúvida, Sergio Padilla é um caso excepcional, mas ao mesmo tempo lamentável. O apelo, então, é para cuidar de si, estar ciente da gravidade da situação e tomar as medidas cabíveis.

Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM



COMENTÁRIOS