Este é sobre um casamento de um casal de apaixonados, Melina Nucci e Adriano Silva dois Brasileiros que no dia da cerimónia decidiram convidar uma morador de rua para assistir ao casamento deles.

Durante a cerimónia de casamento, enquanto Melina se estava a dirigir para a igreja foi abordada por um senhor que estava a passar rua e ele apenas perguntou se podia assistir à cerimónia. A noiva disse que sim e mais tarde, mesmo sabendo que se tratava de um morador de rua sem outfit para a ocasião os noivos convidaram-no a juntar-se aos restantes convidados.

“(…) foi a primeira vez que assistiu a um casamento.”

Ele ficou tão grato pelo facto de não terem sido preconceituosos com ele que no final da cerimónia decidiu retribuir com um gesto lindo. Ele pegou uma flor de jardim, ajoelhou-se e ofereceu aquela simples flor ao casal. Estava tão feliz por ter assistido à cerimónia, que decidiu retribuir de uma forma simples mas genuína. Ele foi mais longe e disse ao casal que foi a primeira vez que assistiu a um casamento.

Mais tarde Melina fez uma publicação no seu Facebook lamentando que esqueceu-se de perguntar o nome daquele senhor, mas ainda assim na esperança que pudesse chegar até ele o agradecimento sincero por um gesto tão amável como aquele.

Moço, te vi desde a hora que eu estava esperando dentro do carro o momento de entrar na igreja… Lembro que você…

Posted by Melina Nucci on Thursday, August 2, 2018

“Lembro que você disse, ao nos dar a mão na saída, que estava feliz pois nunca tinha assistido um casamento antes. Você deve ter pensado que lhe demos uma grande oportunidade, sem jamais imaginar que quem deu a grande oportunidade para nós dois foi você.”

Entre tantos casamentos que acontecem todos os dias, foi no meu que você entrou, trazendo um significado imenso. Para alguém que trabalha com pessoas em situação de rua, só pude interpretar como um sinal de que minha caminhada é certa, de que estou onde devo estar. De que meu marido está no caminho certo, mexendo os pauzinhos para mudar as vidas certas.”escreveu Melina.

Por coincidência ou não, Melina trabalha numa ONG de acolhimento para a população de rua que oferece alimentos, itens de higiene pessoal e também permite pernoite para os moradores de rua da cidade. Além disso, também ajuda essas pessoas a saírem das ruas, ajudando com oportunidade de emprego ou retorno à família, na cidade natal.

“(…) ela acredita que nada acontece por acaso e que o facto de ele se ter cruzado com ela significa que tem de continuar à procura do senhor, para ajudá-lo (…)”

Embora Melina não tenha voltado a encontrar o homem, ela acredita que nada acontece por acaso e que o facto de ele se ter cruzado com ela significa que tem de continuar à procura do senhor, para ajudá-lo através do seu trabalho.

Vamos partilhar esta história para ajudar Melina a encontrar este senhor!

Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM



COMENTÁRIOS