Uma cachorra e um pequeno porquinho recém nascido tornaram-se a sensação das redes sociais depois de espalharem as suas lindas imagens, mas especialmente depois de conhecerem a comovente história por trás desta mãe “emprestada” e deste bebé leitão.

Katjinga é um cão Rhodesian Ridgeback de oito anos de idade, que assumiu perfeitamente os seus deveres maternais para o mal-humorado Paulinchen, um adorável porco órfão recém-nascido.

Paulinchen foi felizmente descoberto alguns segundos depois de perder a vida e conseguiram reanimá-lo. Foi então colocado sob os cuidados de Katjinga, que para a sua sorte aceitou recebê-lo como uma das suas crias.

Eles apaixonaram-se à primeira vista e a menino foi salvo de um triste destino.

Katjinga vivia numa enorme fazenda em Hoerstel, na Alemanha, junto com seus pais adotivos Roland Adam, 54, e sua esposa Edit, 44.

Foi Roland que encontrou o pequeno Paulinchen entre a vida e a morte, estava totalmente fraco, a lutar para sobreviver depois de ter sido abandonado pela sua família, apenas um dia depois de ela nascer. Mas Katjinga não teve nenhum problema em adotá-lo e exercer as suas funções como mãe.

“Os porcos selvagens vieram até às nossas terras e a porca acabou por dar à luz uma ninhada de cinco crias. Encontrei Paulinchen sozinho e quando o agarrei ele estava com muito frio. Eu tinha certeza que as raposas certamente comeriam o porco naquela noite, então levei-o para minha casa e coloquei-o perto de Katjinga. Ela tinha acabado de dar à luz uma ninhada, que agora tem 10 meses de idade, então eu pensei que havia uma possibilidade de ela assumir as tarefas de cuidar dela”, disse Roland.

Os donos de Paulinchen e Katjinga apaixonaram-se completamente quando os viram juntos, mostrando ao mundo que, por amor verdadeiro, não importava a espécie ou as aparentes diferenças.

A determinada altura Katjinga pôde ser vista a amamentar o seu novo filho adotivo como se se fosse um dos sues bebés.

Afinal, num coração que cabe 10, pode caber 11 sem nenhum problema!

“Katjinga é a melhor mãe que Paulinchen pode imaginar ter. Ela apaixonou-se logo pelo porquinho. Ela começou imediatamente a limpá-lo como se fosse um dos seus próprios filhotes. Dias depois, ela começou a produzir leite novamente para amamentar o porco. Era evidente que ela o considerava o seu próprio bebé. Mãe do ano? … Muito possivelmente”, concluiu Roland.

O exemplo que estas lindas criaturas nos dão é imensurável. Definitivamente, no seu nobre coração pode caber quem precisa de afeição e abrigo, não importa quão grandes sejam as diferenças. Temos tanto aprender a aprender com esta espécie! Partilhe com todos os seus amigos.

Traduzido por Inspiring Life, do site Zoorprendente

Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM



COMENTÁRIOS