Um estudo recentemente publicado pelo grupo Environmental Health Perspectives apresenta algumas razões bastante convincentes para as mulheres escolherem um lugar um pouco mais verde para o seu próximo passo.

Um vasto conjunto de dados

O estudo acompanhou 108.630 mulheres através de questionários de 2000-2008, abaixo do grupo original de mais de 120.000 identificados para um estudo em 1976.

Os entrevistados viviam em vários estados em todo o país, e aqueles que viviam em ambientes mais verdes consistentemente relataram melhor saúde numa variedade de áreas.

Os autores do estudo tiveram em conta os hábitos de vida das mulheres e os dados demográficos – idade, raça, localização, renda, independentemente de fumarem ou não – e usaram as informações para compilar seu conjunto de dados.

Mais de 8.000 mulheres faleceram durante os oito anos deste estudo e, a partir desses dados, os cientistas descobriram que as mulheres que vivem em ambientes mais verdes têm uma taxa de mortalidade em geral menor do que aquelas que vivem em áreas mais desenvolvidas: 12% mais baixas, não representando morte acidental.

O objetivo declarado do estudo era, de fato, determinar se havia uma relação entre “verdura residencial” e mortalidade em mulheres.

Cancro e doenças respiratórias foram as que mais reduziram num lugar mais verde; as mortes relacionadas a doenças respiratórias foram 34% menores, e as mortes por cancro caíram 13% em comparação com as áreas urbanas.

Os cientistas tinham algumas teorias sobre por que isso era possível, algumas das quais são bastante óbvias. Por exemplo, um ambiente de vida mais verde significa menos poluição do ar, poluição sonora e até poluição luminosa. Isso também significa menos exposição ao calor extremo, menos stresse, melhor ar e pulmões mais saudáveis ​​e felizes.

É bom para sua mente também

As áreas verdes também oferecem mais oportunidades para socializar e se conectar com outras pessoas!

Embora vivamos em grande parte estilos de vida individualistas e independentes nos tempos modernos – especialmente nos EUA – conectar-se com os outros foi mostrado para aumentar o bem-estar de uma pessoa e paz de espírito, reduzindo as taxas de depressão e ansiedade.

Um dos cientistas de Harvard por trás do estudo, o pesquisador associado Peter James, ficou surpreso com o quanto dos benefícios físicos da vegetação se baseavam nos mentais, afirmando:

“Ficamos surpresos ao observar associações tão fortes entre o aumento da exposição ao verde e as menores taxas de mortalidade. Ficamos ainda mais surpresos ao encontrar evidências de que uma grande proporção do benefício de altos níveis de vegetação parece estar relacionada à melhoria da saúde mental”.

Não precisas de morar no meio da floresta para aproveitar estes benefícios para a saúde, diz Elizabeth Pegg Frates, M.D., que declarou em uma entrevista:

“Saia e respire o ar puro, caminhe pelo bairro, encontre alguns amigos para passear com você e aproveite o ar livre. Se você não mora numa área com muitos espaços verdes ao seu redor, pense em plantar algumas árvores ou arbustos no seu jardim. Se você mora em uma área altamente urbana, pode se envolver com uma política local para incentivar sua comunidade a aumentar os espaços verdes. Passe algum tempo com os amigos que moram em áreas com muitas árvores e vegetação, busque conscientemente áreas verdes sempre que puder e considere passar férias em áreas com muita vegetação”.

Dê um passeio no seu parque local, ou melhor ainda, inscreva-se num grupo de caminhadas ao ar livre! Reunir-se com outras pessoas para desfrutar da natureza pode ajudar a aliviar a ansiedade e quem sabe? Você pode até fazer alguns novos amigos.

Traduzido e adaptado por: Inspiring Life do site: Higher Perspectives

Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM




COMENTÁRIOS