As instituições americanas são conhecidas pelo seu conservadorismo nas tradições, raramente acontece que o que é considerado o status quo seja flexibilizado para dar lugar a renovações dentro da cultura. Já vimos, quando o primeiro presidente negro daquele país foi grande notícia, ou mesmo os intermináveis ​​filmes inspirados na história dos negros que conseguem ser os primeiros em alguma coisa, e não estamos falando de histórias de mais de um século atrás.

Sob este parâmetro, Sydney Barber é uma jovem que pode contar sua história, já que recentemente foi nomeada a primeira mulher negra comandante da brigada naval dos Estados Unidos.

Isso significa que Barber vai liderar o corpo discente da Academia Naval dos Estados Unidos, pela primeira vez na história do país norte-americano.

“Ganhar o título de comandante de brigada diz tudo, mas o título em si não é tão significativo quanto a oportunidade que uma liderança oferece, de fazer algo que acho que será realmente especial. Tenho a honra de desempenhar um pequeno papel nesta temporada importante da história americana.”

–Sydney Barber na USNA–

O trabalho de Barber não será menor, pois, durante o próximo semestre da primavera, ele estará encarregado da formação profissional diária de mais de 4.400 aspirantes da Academia Naval dos Estados Unidos.

Com a notícia, Barber passa a ser a décima sexta mulher a assumir o cargo de comandante de brigada e a primeira negra em mais de quarenta anos que as mulheres ocupam a marinha.

A última grande conquista desse tipo foi Janie Mines, a primeira mulher negra a se formar na Academia Naval em 1980, de modo que há uma grande lacuna nos avanços inclusivos desse tipo.

A própria Janie Mines compartilhou sua alegria nas redes sociais onde disse que chorou de emoção e agradeceu por sua dedicação e esforço em uma carreira tão sacrificada.

Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM



COMENTÁRIOS