“Não percas mais tempo a discutir sobre como um homem bom deveria ser. Sê um.” – Marco Aurélio

Agora, mais do que nunca, o mundo precisa de pessoas boas.

Enquanto dirigia para casa de uma entrevista de emprego no outro dia, eu ouvi Joe Rogan a falar sobre como ele trata estranhos que agem mal ou sejam hostis para com ele, aparentemente sem razão alguma.

O seu modus operandi é essencialmente: “Deixa ir. Nunca se sabe que tipo de dia a outra pessoa está a ter.

Isso ressoou comigo excepcionalmente bem. É uma das grandes coisas em que venho a concentrar-me no segundo semestre de 2017 – ser gentil com as pessoas, independentemente do cenário.

Eu considero-me uma pessoa gentil acima da média. Sou sempre grato e simpático com os servidores nos restaurantes. Agradeço ao piloto toda vez que saio de um voo (afinal, por algumas breves horas ele está 100% no controle da minha vida). E eu sorrio quando sou recebido por um estranho.

Mas eu sou lindamente falhado, muito parecido com o resto. Ocasionalmente, as emoções tiram o melhor de mim. Quando o meu ego fica ofendido, em vez de agir com amor e bondade, a minha reação instintiva transforma-se em raiva e “como é que ele se atreve!”

Eu pratiquei ser um bom ser humano desde que me lembro. Agora, estou determinado a manter essa pessoa, independentemente da situação.

A minha dança com o diabo

Há algumas semanas atrás, eu estava num cenário que testou a minha nova filosofia.

Pode chocar quando digo que estava a dirigir um veículo quando isso aconteceu. A raiva da estrada é tão incomum nos dias de hoje, certo?

De qualquer maneira, a minha noiva e eu tínhamos acabado de entrar no estacionamento do Target ha alguns minutos atrás. Estávamos com pressa de viajar para a casa de seus pais nas montanhas, dando início a um relaxante fim de semana fora de casa.

O plano era deixá-la na frente e estacionar o carro. Nós estávamos apenas a parar para tomar um café e comprarmos algumas coisinhas para a nossa viagem.

Quando parei na faixa de pedestres, o camião de tamanho gigante que estava à minha frente pisou nos freios, forçando-me a fazer o mesmo.

Instintivamente, eu coloquei o meu braço direito à frente da minha noiva enquanto simultaneamente deixava escapar um palavrão. Num piscar de olhos, a minha ansiedade passou de um para oito.

Olhei em volta para encontrar a causa da sua parada repentina, mas não vi nada. Proibido pedestres. Nenhum outro carro (além de mim). Nenhum animal vadio.

Quando o camião virou à esquerda e o motorista ficou em visão clara, eu fiz uma coisa que imediatamente me fez sentir como uma pessoa má: mostrei-lhe o dedo do meio.

Tornando o mundo num lugar melhor, uma interação de cada vez

Com todo o ódio, corrupção, violência e intimidação que acontecem no mundo, por quê acrescentar mais combustível ao fogo?

Eu realmente precisava de apertar com aquele homem que estava dirigindo o camião? Quero dizer, e se ele tivesse acabado de receber um telefonema que abalou o seu mundo? O meu acto ignorante de ódio pode ser exatamente o oposto do que aquele homem precisava naquele momento.

Como Joe Rogan e muitos outros indivíduos mais sábios do que eu diriam, nunca se sabe que tipo de dia a pessoa está a ter.

Eu senti-me mal por fazer isso. Ainda me sinto mal com isso, mas sei que preciso deseguir em frente. Em literalmente um milésimo de segundo de fraqueza, escorreguei.

Todos nós temos egos que exigem que as pessoas nos tratem com respeito. Quando o ego fica magoado, é extremamente importante ter um breve momento para decidir como é que desejas reagir, em vez de reagires impulsivamente.

O mundo não precisa de mais ódio. Precisa de mais amor, compaixão e bondade.

Se a outra pessoa foi má contigo, não é um reflexo de quem é como ser humano; é provável que algo de mal esteja a acontecer na sua vida. Essa pessoa pode ser a pessoa mais feliz e mais amorosa do planeta e poderá estar a ter o pior dia de todos os tempos.

Ao escolher responder com gentileza, fazes do mundo um lugar melhor. Talvez essa pessoa perceba o erro dos seus caminhos. Ou talvez não. Isso realmente não importa.

O que importa é que recebeste um ato de indelicadeza e recusaste-te a dar-lhe mais poder.

Queres melhorar o mundo em que vivemos? Não te concentres em resolver a paz mundial, a fome global ou impedir políticos corruptos. Em vez disso, concentra-te nas interações do dia a dia que tens com todos ao teu redor.

Imagina se todos nós fizéssemos o mesmo.

Como eu comecei a ser melhor

Ser alguém que responde ao ódio de maneira amorosa não é, de modo algum, uma tarefa simples. O teu ego irá querer defender-se, e irás reagir mal, como eu fiz.

Havia algumas coisas que eu comecei a fazer que me ajudaram a ser uma pessoa melhor, mas uma coisa estava acima de todas elas. Praticar a atenção plena, principalmente através da meditação, foi o divisor de águas para mim.

Meditar dá-te a “pausa” extra que precisas na tua vida para neutralizares adequadamente essas situações complicadas.

Não é algo que possa ser explicado, mas saberás do que estou a falar quando começares a tua própria prática.

A minha experiência com meditação sempre foi uma montanha-russa, praticando consistentemente às vezes e “cair da carroça” em outras. Mas agora, eu fiz questão de meditar todos os dias.

Entre muitos outros benefícios, isso faz-me uma pessoa melhor, e isso é algo que eu nunca terei como certo novamente.

Traduzido e adaptado pela equipa de Inspiring Life / Sábias Palavras

Fonte: Tiny Buddha

Autor: Jason Guiterrez

Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM



COMENTÁRIOS