Parte da aprendizagem da vida é a dúvida, esse sentimento desperta a necessidade de confiar. Mas não é fácil aproveitar cada momento que experimentamos com alguém ou passar por uma determinada situação, se não nos sentirmos confortáveis ​​ou se sofrermos.

Já aconteceu a todos nós, uma vez ou muitas vezes, que depois que terminamos um relacionamento, de qualquer tipo, de um casal, trabalho, amizade, entre outros, finalmente reconhecemos qual era o verdadeiro significado desse relacionamento. A alegria ou sofrimento que nos causou foi parte de um ensinamento que geralmente entendemos muito depois de termos vivido.

“Eles se despediram e as boas vindas já estavam em tchau”. Mario Benedetti

Muitas das nossas experiências que fazem a consciência apenas quando estamos prestes a reviver ou repetir a experiência vivida, usamos um exemplo, a referência ou comparação, é então finalmente vislumbrou o ensinamento deixado por essa situação ou pessoa.

Acontece que não importa o quanto queremos que algo termine ou continue, essa pessoa ou situação em nossa vida só nos deixará quando tivermos transmitido seu ensinamento. Isso não significa que devemos ser capazes de entender este ensinamento a ser deixando-nos, muitas vezes simplesmente desaparece e só o vazio, ou simplesmente estende e perpetua nosso sofrimento, mas há uma grande diferença se tentarmos discernir o verdadeiro significado da o que está acontecendo conosco.

Muita ajuda não está prevista para julgar qualquer situação ou pessoa, evitar preconceitos esclarece o caminho, nos torna imparciais e um pouco mais objetivas para um evento que enfrentamos. Isso provavelmente nos permitirá ter uma mente mais clara e renovada, aberta e disposta a receber o que foi ensinado.

Por outro lado, há a necessidade imperativa de viver experimentando o presente, não faz sentido tentar entender algo que já aconteceu ou que não aconteceu. Viver atento ao presente nos dá a maravilhosa oportunidade de não perder detalhes, perceber toda a energia que nos é apresentada, saber escutar, gozar o silêncio dos momentos, isso nos dará a calma para aceitar o que está diante de nossos olhos.

“Eu não posso voltar ao passado porque eu era uma pessoa diferente.” Lewis Carroll

Faça uso de seus recursos essenciais

Seja humilde, receba o que é apresentado, da sua essência e não da sua aparência. A humildade é uma grande virtude que geralmente esquecemos e em muitas ocasiões as situações que nos lembram essa verdade da vida são memoráveis.

Seja paciente, espere gentilmente que tudo aconteça, a paciência nos dá a serenidade para saber exatamente como agir no momento e no momento preciso. Quando vivemos perturbados, com a mente em constante ruído, perdemos grandes momentos de nossa existência, negligenciamos detalhes que podem mudar nossas vidas.

Aceite o que acontece diante de você, não se encha de dúvidas que ofusquem a alma e perturbem a sanidade, não permaneçam presos à desconfiança, se algo ou alguém gerar sérias dúvidas, observe atentamente seus sentimentos, vej a experiência de dentro, Você provavelmente encontrará a resposta.

“A vida deve ser entendida de trás para a frente. Mas deve ser vivido em frente.” Kierkegaard

E, finalmente, não tenha medo da partida disso ou daquele que nos abandona, não tenha medo do que ainda resta, viva a experiência, no presente, com atenção e aceitação, assim você será capaz de sentir o ensinamento e quando terminar seu trabalho, você estará plenamente pronto para deixar ir.

Por: Sara Espejo – Rincón de Tibet

Photo by Daniel Schaffer on Unsplash

Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM



COMENTÁRIOS