Cada relacionamento é único, e todo casal lida com as suas questões à própria maneira, mas recentemente uma grande onda de insatisfação cresce entre as mulheres, elas não aguentam mais cuidar de seus maridos como se fossem mães deles, e não companheiras de vida.

A sociedade evoluiu com o passar dos anos e os homens que dependem de suas parceiras até para as menores tarefas não são mais aceitos de bom grado. As mulheres desenvolveram um maior senso de valor próprio, compreendendo que não precisam de outra pessoa ao lado para se sentirem suficientes. Elas vão atrás de seus objetivos e sonhos, e os relacionamentos não são mais a prioridade nem a garantia de uma vida feliz.

Em muitas famílias, a rotina do homem e da mulher é a mesma.

Mesmo horário de trabalho, hobbies e descanso, e nesse sentido é importante que o casal consiga equilibrar as funções dentro da casa, e não sobrecarregar tudo apenas para uma pessoa, que geralmente é a mulher pelo histórico de cuidar da casa.

Se você é um daqueles homens tradicionais que pensam que o lugar da mulher é em casa, cuidando do lar e dos filhos, provavelmente não vai encontrar uma parceira com a mesma facilidade de anos atrás, porque as mulheres se tornaram mais independentes, sabem que não possuem mais nenhuma obrigação em relação aos homens em sua vida, sabem se impor, porque alcançaram o conhecimento de que um relacionamento se constrói com reciprocidade, e que não devem ser mãe de quem deveria ser parceiro.

Claro, ainda existem mulheres que gostam de se dedicar à casa e à família, e isso é perfeitamente normal. O problema não é a vontade das mulheres de cuidarem da família, mas serem vistas como mães ao invés de parceiras românticas.

Em um relacionamento romântico estão envolvidos dois adultos que devem estar conscientes das próprias responsabilidades e deveres dentro da relação.
Quando você se mostra aberto para dividir a sua vida com alguém, precisa abraçar essa realidade com tudo o que a acompanha, inclusive uma mudança de rotina e a libertação da zona de conforto.

Mesmo em uma união, cada um continua responsável por si mesmo.

Os relacionamentos servem para dividirmos nossa jornada com outra pessoa, não para tornarmos tal pessoa responsável pelas nossas obrigações.

Ninguém é obrigado a estar com uma pessoa egoísta, infantil e que não faz a sua parte para que o relacionamento ande para frente. Se você cresceu em uma família que sempre lhe deu tudo, saiba que não é obrigação da pessoa ao seu lado continuar esse legado.
Amar, cuidar, compreender, perdoar e se esforçar são atitudes lindas e necessárias em uma parceria, mas precisam vir dos dois lados, não são comportamentos exclusivos das mulheres.

Ainda que historicamente tenham sido incumbidas de cuidar, as mulheres não têm apenas essa função na vida, e certamente não devem ser mãe de seus parceiros. Se você está pensando em dar um passo à frente no relacionamento e unir-se à sua parceira, tenha a consciência da equidade entre vocês e entenda que ela não é e nem deve ser uma segunda mãe para você.

Marido não é filho e relacionamentos pedem maturidade.

Por: Luiza Fletcher

Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM



COMENTÁRIOS