Quando você precisa fazer as unhas, você precisa fazer as unhas. E não importa se você está carregando um vírus potencialmente mortal e expõe outras pessoas a ele no processo. Eles não saberão. Pelo menos, não no começo.

Se tudo isso soa como algo saído de um drama sinistro de ficção científica, tenho más notícias para você; não é ficção.

Taylor, uma manicure do Rogue Menai Salon, disse que uma mulher sem vergonha apareceu para fazer as unhas apenas dois dias após o teste ser positivo para coronavírus – e só admitiu ter mentido sobre estar livre de COVID quando voltou para casa.

Devastada ao ouvir que foi exposta ao vírus, Taylor partilhou capturas de tela da conversa de texto que teve com o cliente para lembrar às pessoas do setor que se mantivessem seguras. Você nunca pode ter certeza se seu cliente ainda não perdeu a cabeça.

“Estou me sentindo muito mal e não deveria ter ido no meu horário, mas eu precisava desesperadamente fazer as minhas unhas! Fui diagnosticada com o coronavírus há dois dias, então, por favor, fique de quarentena”

“Você sabe que eu estou com a imunidade comprometida e que não deveria te atender se você esteve exposta à doença”.

“Eu estava desesperada para sair de casa, pois estava de quarentena havia dois dias e precisava muito fazer as unhas”. Eu precisava tanto das minhas unhas feitas. Você viu como elas estavam ruins!”

“Foi muito angustiante receber essas mensagens”, disse Taylor à Allure. “É alarmante pensar que existem pessoas que não levam a sério a segurança de outras pessoas.” Ela diz que, desde a publicação das capturas de tela, ouviu falar de outras pessoas na indústria de serviços de beleza que passaram por incidentes semelhantes.

Em Washington, as diretrizes do estado dizem que todos que procuram um prestador de serviços pessoais – o que inclui salões de manicure – “devem se auto-avaliar para sinais e sintomas de COVID-19 antes de chegar ao local do provedor de serviços.”

Taylor disse que denunciou o cliente às autoridades competentes. “Estou deixando para eles a tarefa de me ajudar a lidar com esta situação de maneira adequada.” Nesse ínterim, no entanto, ela não pode – e não iria – trabalhar.

“Espero que, após minhas duas semanas de quarentena, consiga aceitar os clientes de volta. Minha primeira preocupação é com a segurança dos meus clientes, familiares e amigos – em primeiro lugar.”

Photo by rashid khreiss on Unsplash

Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM



COMENTÁRIOS