Valentino Ladislao era um menino de 5 anos que vivia dependente de uma máquina para respirar desde os seus 2 anos, quando sofreu um acidente no qual um vidro de uma janela acabou cravado no seu coração. Contudo, um certo dia, a companhia de electricidade cortou a luz devido a uma dívida de cerca 2000 dólares, e este acabou por falecer por paragem respiratória.

O incidente dramático ocorreu em Lomas de Zamora, uma cidade no sul de Buenos Aires, na Argentina. Segundo Mariana Medina, a mãe da criança, a casa ficou sem eletricidade das 7 da manhã até as 10 da noite.

Apesar das inúmeras chamadas feitas para a companhia a pedir para reactivarem a electricidade, explicando que havia uma criança dependente de uma máquina eléctrica para viver, esta recusou-se a fazê-lo enquanto a dívida não fosse liquidada.

De acordo com a mãe, antes do acidente gastavam cerca de 1500 dólares em luz. Todavia, após o acidente o consumo de electricidade aumentou bastante passando para os 6000 dólares, montante esse que não tinham possibilidades de pagar.

Sabendo que uma equipa técnica se encontrava perto do local, a mulher ainda foi ter com a mesma a pedir que lhe ligassem a luz, contudo estes disseram que não o podiam fazer e que tinham que aguardar que a empresa restabelecesse o serviço.

O pai ainda tentou consertar um gerador que lhe havia sido dado há algum tempo, mas já foi tarde demais. Quando conseguiu finalmente ligá-lo às 20h40, o estado do menino já era bastante grave e este acabou mesmo por falecer às 21h10.

Ao ser confrontada com as acusações da família pelo sucedido, a empresa defendeu-se dizendo que não existia qualquer registo de que a morada em questão estaria indicada no banco de dados da empresa como cliente eletrodependente, daí não fornecer o serviço de forma gratuita como a lei obriga desde 17 de Maio de 2017, ao que a mãe admitiu que desconhecia tal lei e, por isso, não sabia que tinha de o fazer.

Infelizmente, toda esta série de desconhecimento de lei e má informação acabou por resultar numa tragédia para esta família que perdeu uma criança.

Fonte: Univision

Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM



COMENTÁRIOS