Com as temperaturas a subirem cada vez mais, muitos são os casos de crianças a morrerem por insolação ao serem deixadas nos carros nem que seja por breves instantes, no entanto, nem sempre é necessário estarem dentro de um carro quente para sofrerem uma insolação.

A prova disso é a pequena Anastasia que não ganhou para o susto – nem a sua mãe – ao ter apanhado uma insolação no seu próprio quarto. Sim, no quarto! A realidade é que o quarto estava tão quente que acabou por lhe provocar uma insolação, tendo mesmo demorado cerca de 20 minutos a acordá-la.

Para alertar outros pais para este tipo de situações, Jennifer Abma, a mãe, decidiu partilhar a sua história absolutamente assustadora:

https://www.facebook.com/jenni.lynn.982/posts/1415078915195316:2

“Esta foi a minha noite. Foi a coisa mais assustadora que eu poderia imaginar. ESTA é uma insolação grave. Não há nada mais assustador do que não conseguir acordar sua menininha. ESTA é uma prova clara de que uma criança não precisa estar no sol para ter uma insolação. Nós levamos 20 minutos para acordá-la. Quando a ambulância chegou, ela veio com médicos investigadores, pois eles não sabiam o que esperar, assim como eu. Isto prova como as coisas mudam rapidamente. Anastasia foi dormir uma soneca e eu não tinha ideia do quão quente estava o seu quarto, até que eu fui acordá-la e ela estava molhada de suor, com o rosto vermelho, e eu não consegui acordá-la por 15 minutos.

A ambulância chegou mais rápido do que eu poderia imaginar, e eles mediram o seu nível de açúcar, que era 1,2 e deveria estar acima de 4. Eles administraram sacarose e minutos depois ela começou a chorar, claramente assustada. Não, o que aconteceu não é culpa minha, mas é difícil não se culpar. Isto é uma lição aprendida e espero que outros pais possam tirar algo disto: certifique-se de verificar os quartos da casa, pois eles podem ser tão perigosos quanto um carro quente. Eu ainda estou em choque e não consigo imaginar o que teria acontecido se não tivesse ido vê-la. Nós definitivamente tivemos Deus do nosso lado ontem e sou grata aos serviços de emergência e Jay, que vieram o mais rápido possível para me ajudar.”

Felizmente esta é uma história com um final feliz!

VÊ TAMBÉM