José Ribeiro da Silva é um homem brasileiro que, apesar da sua idade avançada, sempre teve uma vida activa, tendo começado a trabalhar quando era muito jovem como engenheiro mecânico.

Após alguns anos casou-se e constituiu família, tendo apenas se reformado 30 anos depois mesma empresa do ramo de fios onde trabalhava como Supervisor Mecânico das Máquinas de Linhas.

Apesar de tudo parecer ser perfeito, a verdade é que o destino acabou por lhe pregar uma partida, e pouco tempo após se ter aposentado, a sua esposa faleceu e passado alguns anos, em 2002, sofreu o primeiro AVC, tendo-se repetido o episódio em 2007.

A recuperação não foi fácil, tendo ficado inicialmente paralisado. Contudo, com o apoio e a aceitação incondicional da sua filha mais nova, Viviane Ribeiro, tratamentos médicos e fisioterapia, conseguiu melhorar. Ainda assim, quando o segundo episódio aconteceu, o Sr. José acabou por começar a sofrer de insónias.

Dr. Ricardo Zanetti, o seu médico neurologista que o acompanha até aos dias de hoje, ao verificar que não se registavam melhorias com a medicação receitada, decidiu prescrever algo um pouco diferente – um animal de estimação.

Quando perguntou ao Sr. José qual o animal que este gostava, este respondeu de imediato “gato”. Contudo, apesar de sempre terem tido animais de estimação, de momento não tinham nenhum. Por isso, o médico aconselhou que arranjassem um gato – neste caso, uma gatinha chamada Tica – e que o homem ficasse responsável pela escovação e alimentação da mesma.

A chegada de Tica acabou por resultar melhor do que esperado, não só devido ao vínculo afectivo que esta criou com o Sr. José, como todos os benefícios que trouxe para a sua saúde com estímulos cognitivo e motor, já que este precisava de bastante fisioterapia devido a sequelas na mão e perna esquerda.

Os óptimos resultados acabaram por inspirar a filha do homem, Viviane, a criar uma página no Facebook chamada “RonRon do gato“, um espaço destinado à conscientização da adoção e posse responsável de gatos, além de também partilhar com alguma regularidade o dia-a-dia da sua família com a pequena Tica e o mais recente membro da família, uma gatinha branca “Faísca Nina Nineza”.

Há relativamente pouco tempo, o Sr. José contou à filha que tinha escrito uma carta à sua gata Tica como forma de demonstrar o amor, carinho e apreço que tem pela mesma, por toda a ajuda que esta lhe deu na sua recuperação, ao que ela leu e, emocionada, decidiu transcrever a mesma e partilhar na respectiva página.

Tenta não te emocionar! 😍

“RonRons… Ontem cheguei em casa e o Vovô Zé disse que tinha feito uma “carta” pra Tica que chama de Tatica. Ao ler me emocionei muito. Embora a letra confusa, sem regras gramaticais e a falta de coordenação de quem tem sequelas de 2 AVCs é a coisa mais linda que vi e li até hoje.

Ainda deixou espaços em branco pra eu preencher porque teve lapso de memória.
Mais tarde eu transcrevo a “carta”… ( Já digitalizei).

Tenho muito orgulho de ser filha do seu Zé. Meu Amor ❤💜

*Digitalizada na ìntegra*

Ela não chama Tatica tem outro nome Sophia Kyara Ribeiro. Ela dorme no sofá, tabua de passar roupa, cadeira, no chão, na cama da mãe dela no “raqui”, estante. A Viviane deixou um osso de frango em um prato jogar fora e ela pegou levou para cama. A Viviane foi deitar e começou machuca as costas dela era ossos que a Tatica tinha deixado no lençol. Ela gosta de danone na colher, sentada na cadeira. Ela levanta 1/2 dia come bebe vai no banheiro dela e depois vai arranhar o pneu da minha cadeira pra avisar que ela já levantou. Ela ronca muito quando esta dormindo. Ela gosta muito de comer. Quando ela está animada vai sentada no banco do passageiro olhando para todo lado como uma Madame. A Tatica passa muito tempo na janela da sala. Primeiro ela sobe na tabua de passar roupa, entra numa caixa que fica sempre para ela deitar. É uma caixa pequena mas ela dá um “geito” de caber dentro para ela dormir com o pescoço e rabo pra fora.
Ela sobe na tabua de passar roupa e passa para o lado de fora da janela entre o vitro e a tela. Ela fica olhando o passarinho vendo a portaria. O apartamento fica 8 metros da rua e lá fica muito carro estacionado motos e ela fica tomando sol e se distrai tanto com o movimento ela deita e dorme na Janela.”

Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM



COMENTÁRIOS