Esta é a linda história do casal Jack Potter e Phyllis, que se conheceram no baile de finalistas em 1941. Passados dois anos os dois casaram e continuam juntos até aos dias de hoje passadas já cerca de 7 décadas.

Jack recorda o dia em que conheceu a sua esposa e diz que: ““Foi uma noite muito agradável. Dancei com uma garota muito legal. Espero encontrá-la novamente”.

Infelizmente Phyllis sofre de amnésia e encontra-se actualmente numa casa de repouso na cidade de Rochester, Inglaterra. O seu marido visita-a todos os dias, e durante o tempo em que está com ela, lê os diários em voz alta. Apesar da demência, Phyllis ainda reconhece Jack, balança as pernas enquanto ele lê para ela e muitas vezes sorri. Ela é muito afectuosa com o seu marido, parecendo tratar-se de instinto.

Phyllis escreveu estes diários extremamente detalhados durante todo o seu casamento, e nele tem fotografias de casamento, férias e momentos a dois onde foram muito felizes. Jack afirma que nunca ligou ao facto da sua esposa ter este hábito, de ter a necessidade de registar tudo. Mas por mera coincidência, este hábito de de Phyllis, tornou possível um forte elo de ligação entre dois apesar de todos os entraves.

É incrível como o verdadeiro amor pode torna-se em algo tão especial e inabalável. Parece um filme romântico, mas não é ficção, é pura realidade, este casal conseguiu fazer com que a sua história não morresse antes deles mesmos.

Quando perguntaram a Jack qual era o segredo de uma casamento longo e feliz, ele apenas disse que se resumia a poucas palavras:

“O nosso lema é, o que tiver de ser será!”

Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM



COMENTÁRIOS