Nos últimos anos tudo tem mudado em relação a sexualidade e género, as pessoas agoram tem o direito de se definirem como querem e como se sentem. Embora tudo isto pareça uma loucura, a verdade é que todos temos o direito de sermos o que queremos desde que não exista falta de respeito.

Nas redes sociais também nos podemos expressar, embora, por vezes, estejamos mais expostos a criticas muito negativas, pois é sempre mais fácil criticarmos alguém em frente a um ecrã do propriamente pessoalmente.

O influenciador Oli London sofreu isso na pele quando decidiu assumir-se como do género não binário e de origem coreana, sendo que ele é nativo de Inglaterra. Ele prefere ser chamado, coreano ou então de Jimin, em homenagem Park Jimin, a sua estrela favorita, com quem se tenta parecer desde os seus 25 anos.

 

Já gastou a volta de 150 mil doláres em intervenções cirúrgicas, para conseguir ser parecido com o seu ídolo, passando até por intervenções de clarear a pele.

Mas na verdade esta situação é mais complexa, mesmo que ele se sinta parte do povo asiático, ele precisa de ter essa nacionalidade, não basta apenas dizer que é coreano. Precisamente por causa disto é que as suas declarações tem incomodado a comunidade não binária, pois acreditam que isto é apenas para se tornar polémico para alcançar mais seguidores.

 

Por outro lado o seu agente diz que: “Além de se identificar como fluida de género e não binária nos últimos anos, Oli também se sentiu muito apegado à Coréia e à cultura coreana, muito mais do que à sua própria cultura.”

O cantor, por sua vez, respondeu às críticas acusando a todos de “disfarçar sua homofobia” através do YouTube. A verdade é que ele está feliz e embora possa parecer incompreensível para muitos de nós, seria muito bom deixá-lo aproveitar a vida do jeito que ele quer.

VÊ TAMBÉM