Imortalidade – o sonho de tanta gente (e por “tanta gente” quero dizer eu! 😂), contudo ainda é algo com que apenas podemos sonhar, pelo menos para já! Sim, pois de acordo com a ciência, já esteve mais longe de ser alcançado.

Empresas grandes como a Google – por intermédio de uma subsidiária específica, a Calico – têm investido milhões de dólares em estudos para encontrar uma “cura” para a mortalidade. Contudo, ainda continua a ser algo que tem originado bastantes conflitos, tanto técnicos como éticos.

Ainda assim, não deixa de ser um assunto que tem levantado a curiosidade de imensas entidades, como a Universidade de Northwestern, nos Estados Unidos, onde os cientistas aprenderam a apagar a ’mudança genética’ que causa o envelhecimento, mas calma… esta experiência ainda não resulta em humanos, mas sim em minhocas. Contudo, não deixa de ser uma verdadeira conquista da ciência.

Uma outra técnica que tem levado empresas de Silicon Valley, região dos EUA a investir é o rejuvenescimento de ratos velhos por meio da infusão de sangue de ratos jovens, que pesquisadores acreditam que poderia funcionar com humanos.

Como disse anteriormente, muitas grandes empresas estão a investir bastante nesta área, sendo que existem nomes bem conhecidos de empresários incluídos nesta lista, tais como:

 

  • Larry Ellison: um dos homens mais ricos do mundo e um dos donos da Oracle, empresa de sistemas de computação.
  • Sergey Brin: co-fundador do Google e da Calico, que trabalha com saúde e bem estar.
  • Aubrey de Grey: o cientista e pesquisador britânico da área da medicina regenerativa – um dos maiores especialistas do Planeta em gerontologia.

Um dos motivos que os leva a investir é o facto de terem medo de envelhecer e morrer, tal como já confessaram.

Como cientista na área da medicina regenerativa, Aubrey encontra-se a trabalhar directamente em estratégias para adiar ou prevenir a morte dos genes humanos, sendo que neste momento está a trabalhar num projecto chamado 7 SENS — Estratégias para a Senescência Neglígivel Engenheirada, que consistem em:

1. Mutações e epimutações nucleares: mutações que podem levar ao cancro.

2. Mutações mitocondriais: componentes das nossas células que são importantes para a produção de energia.

3. ’Jun’ intracelular: proteínas que não são ’digeridas’ pelas nossas células.

4. Lixo extracelular: proteínas acumuladas fora das células e que foram encontradas em cérebros de pacientes com Alzheimer.

5. Perda de células: células que o próprio corpo pode regenerar.

6. Senescência celular: quando as células perdem a capacidade de se dividir.

7. Ligações químicas extracelulares: causam a perda de elasticidade nas células e nos tecidos.

De acordo com a ciência, existem 5 formas de atingirmos a imortalidade:

Desbloquear o poder dos genes

Ao decifrar os mistérios dos genes, os cientistas podem encontrar um ’gene da imortalidade’ e ’implantá-lo’.

Clonagem

Substituir partes do corpo ou o ser humano por completo, sendo neste momento uma das áreas de estudo mais avançadas em relação à imortalidade.

Criogenia

É a ciência de preservar o organismo, fazendo com que as pessoas fiquem ’congeladas’ até que a cura para as suas doenças seja encontrada.

Cérebro cibernético

O corpo pode morrer, mas a mente pode ser colocada num ’computador’ e permanecer sem idade. O projeto mais conhecido nesta área é chamado de Rússia-2045, que de acordo com os cientista, esta forma será possível de ser realizado no espaço de 17 anos.

Reparação de células

Aqui é onde entra a nano-tecnologia que está a trabalhar no sentido de ser possível realizar  tratamentos através de nano-robôs, onde estes poderão substituir células velhas por novas, ou curá-las completamente.

O que achas disto tudo? Será que vai ser mesmo possível prolongar a vida ao ponto de nos tornarmos imortais? Concordas com isso? Deixa-nos a tua opinião nos comentários!

Fonte: Incrivel.Club

 

Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM



COMENTÁRIOS