Apesar de todos nós sabermos o quão perigoso é para a saúde de um bebé – e da mãe também, claro – o consumo de drogas e/ou álcool durante uma gravidez, muitas mulheres continuam a ignorar os avisos e cada vez nascem mais crianças “viciadas em drogas”, principalmente nos EUA.

Infelizmente, estas começam desde bem cedo a lidar com os efeitos da abstinência de opiáceos – diarreia, tremores, vómito, choro incessante e dores intensas são apenas alguns dos sintomas – graças aos maus comportamentos das suas mães viciadas em heroína, analgésicos ou qualquer outra droga, sendo obrigados a permanecerem por vezes vários meses na maternidade até que o seu organismo fique completamente “limpo”.

Muitos desses bebés chegam mesmo a receber pequenas doses de morfina para que o seu corpo possa “suportar” de forma decrescente essa abstinência.

Contudo, uma maternidade da Filadélfia, EUA, conseguiu tornar a estadia destes bebés ainda mais “especial”. Após as enfermeiras relatarem que os pequenos ficavam mais tranquilos ao serem pegados ao colo, vários hospitais decidiram abrir vagas para voluntários que queiram doar o seu carinho aos bebés, já que o número de pessoal médico disponível não é suficiente.

Com este programa, não só os bebés passam a precisar de doses menores de medicação para controlar os sintomas de abstinência como o tempo médio de internação também acaba por diminuir.

Isto deve-se ao quão importante é para um bebé sentir uma conexão, seja com a sua mãe, o seu pai ou com outros cuidadores desde o primeiro dia da sua vida, sendo fulcral para o seu bom desenvolvimento, principalmente no que diz respeito à confiança nas pessoas.

Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM



COMENTÁRIOS