Após uma empregada filipina, Joanna Demafelis, ter sido assassinada, os dois países (Filipinas e Kuwait) assinaram um memorando de acordo que oferece proteção adicional aos trabalhadores domésticos filipinos no exterior, no estado do Golfo, permitindo que estes não só passem a ter uma folga semanal, como a terem o direito de utilizar um telemóvel e até de ficarem com o seu passaporte. Além disso, também obriga a que os empregadores lhes forneçam alimentos, roupas, planos de saúde e contratos de trabalho padrão.

Quem não gostou muito da ideia foi Sondos Alqattan, uma guru de beleza e maquilhagem do Kuwait com milhões de seguidores, que acabou por ver o público virado contra si após um vídeo que publicou onde critica essas decisões.

Ela disse: “Para [a empregada] tirar um dia de folga todas as semana, isso é quatro dias por mês. Esses são os dias em que ela estará fora. E nós não sabemos o que ela vai fazer naqueles dias, com o passaporte dela. Como poderás ter um empregado em casa que consegue possa manter o passaporte com ele? Se ele fugir e voltar para o país dele, quem é que me reembolsa? Eu não quero mais uma empregada filipina.”

Havendo mais de 250 mil filipinos a trabalhar no Kuwait, estas suas declarações não foram muito bem vistas, havendo quem lhe dissesse que era um ser humano horrível, que deveria comer maquilhagem para poder também ser bonita por dentro quanto é por fora, entre muitas outras coisas.

Além disso, houve mesmo que apelasse às marcas com quem a mulher tem parceiras para deixarem de trabalhar com ela, sendo que algumas reconheceram que as suas declarações não refletiam de todo a imagem da marca, como o caso da Chelsea Beautique e da Etude House Middle East.

Nos dias de hoje, há que ter muito cuidado com o que dizemos, principalmente no que toca a assuntos polémicos!

Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM



COMENTÁRIOS