Com o surgimento das redes sociais, a sociedade começou a perder o hábito do convívio pessoal para passar a ficar fechada no seu próprio mundo, um mundo online, onde apesar dos milhares de “amigos” e seguidores, permanecem sozinhos em casa, frente a um computador, telemóvel ou tablet, a sonhar com uma vida rodeada de gente.

Mas por que não sair e realmente estar presente? Ao invés de mandarmos uma mensagem a alguém a perguntar se está tudo bem, por que não aparecer junto da pessoa e estar “mesmo” com ela?

O escritor e letrista radicado na cidade do Rio de Janeiro desde 2010 (tal como diz no seu site), Allan Dias Castro, decidiu publicar um vídeo com uma mensagem importante, capaz de mudar a tua forma de pensar sobre a vida.

A começar por dizer: “Quando a gente se tranca no nosso mundo, precisando de uma força – às vezes sem força nem pra pedir – é muito bom receber aquela mensagem dizendo, calma vai passar. Mas a que muda tudo é a que diz, calma, tô passando aí.”, ele tenta chamar a atenção da sociedade para a importância da convivência pessoal, em detrimento das “amizades online” que estão cada vez mais na “moda”.

Sem dúvida um vídeo que deves ver e partilhar com os teus “amigos” do Facebook para que percebam a importância da amizade real e presente.

Para quem quiser, este é o texto do vídeo:

“Quando a gente se tranca no nosso mundo, precisando de uma força – às vezes sem força nem pra pedir – é muito bom receber aquela mensagem dizendo, calma vai passar. Mas a que muda tudo é a que diz, calma, tô passando aí.
Faz toda diferença poder contar com alguém que chega no universo da tua solidão, ignora a placa “fechado pra visitação”, abre a porta, fecha as janelas do computador e te traz de volta pra vida real. Isso já muda a tua realidade.
Alguém que troque likes, mas por sinceridade. Que te faça trocar os cinco mil amigos do Facebook por uma boa amizade. Esse não está te seguindo, tá acompanhando, está junto. É como dizer você tá perdido? Eu tô também. Porque a pergunta, às vezes, não é “pra onde?”. É “com quem?”.
Quando a gente está lado a lado, fica fácil perceber a diferença entre receber um coração e ser amado. Entre os que estão on line, e quem está conectados.
Eu nunca entendi muito o conceito de empatia, até perceber que na prática a amizade real não precisa de muita teoria. Às vezes, basta servir de companhia. É aquele silêncio que não te deixa no vácuo, te deixa à vontade – e não significa que acabou a bateria. Significa que você recebeu a mensagem.
Às vezes, melhor do que dar uma resposta, é melhor dar ouvidos. Não sabe o que falar? Tranquilo: a tua presença já vai ter respondido.
Quem te ouve?
Texto de Allan Dias Castro para o VOZ AO VERBO 71 – amizade real.”

Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM



COMENTÁRIOS