João Carlos Resende Martins Medeiros Trindade é um médico que deixou a sua família em Campina Grande, na Paraíba, para se mudar para o interior de São Paulo e tornar-se residente em oncologia no Hospital do Câncer de Barretos. Apesar de sempre ter sido desaconselhado a seguir essa área por ter o coração demasiado “mole”, João nunca desistiu do seu sonho. Contudo, não deixa de se emocionar com as histórias que acompanha, como o caso de uma senhora idosa de Goiás que sofre de cancro.

Numa das suas consultas, João sentiu-se especialmente tocado por esta senhora, ao ponto de não resistir a escrever um relato emocionante da mesma no seu perfil do Facebook, longe de imaginar o que iria gerar. Contudo este comoveu de tal forma a internet que acabou por se tornar viral com mais de 160 mil gostos e 58 mil partilhas. 

No texto ele refere o aspecto simples e franzino da senhora, com “mãos de sutil aspereza de quem trabalhou pesado a vida toda”. A consulta serviu para que este a informasse que o cancro havia regressado e que iria ter de retomar os medicamentos que tão mal a faziam sentir. Contudo, o que fez com que ele acabasse por escrever o relato foi a sua reacção. 

“D. Socorro, não fica triste. O doutor aqui tem coração mole e pode chorar. Olhou para mim e pude ver o brilho dos olhos sábios dizendo: “Vou chorar em casa, para o senhor não olhar.”

Na hora da despedida, a senhora virou-se para o médico e disse: “Dotô, o resto pode estar doente e não prestar, mas meu coração é grande e bom.”

A simplicidade da sua resposta fez com que este se recordasse do motivo que o fez mudar a sua vida e ir para ali. “Ela me ajudou muito mais do que eu, como médico, poderia ajudá-la. Ela que me curou. Me senti visitado por Deus. Foi uma semana me desestimulou, me fez pensar na Paraíba. E veio aquela mulher, naquela simplicidade… Muita gente me diz que eu deveria ser mais frio para não sofrer. Mas o que eu recebo de volta com isso é uma satisfação que faz valer a pena o fato de deixar minha mãe, meu pai, minha avó para cuidar da mãe, do pai e da avó dos outros.”, disse João numa entrevista ao EXTRA.

Esta é a publicação em questão (clica em Ver Mais para leres o texto completo):

Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM



COMENTÁRIOS