Quando estamos doentes ou sentimos-nos mais em baixo, umas das primeiras coisas que fazemos é procurar algum medicamento que tenhamos em casa que possa ajudar-nos a melhorar, ou então vamos mesmo ao médico. Mas será que isso é a melhor opção? Estaremos realmente a fazer bem?

De acordo com o cientista Bruce Lipton, os pensamentos e a energia gerada por eles fazem-nos muito melhor do que medicamentos ou qualquer outro produto químico que possamos tomar.

A maioria das pessoas acredita que muitas das doenças são genéticas e que é impossível “fugir” delas. Aliás, é nisso que a medicina nos faz acreditar. Mas a verdade é que não é bem assim assim que funciona.

Bruce disse: “fizeram-nos crer que o corpo é uma máquina bioquímica controlada por genes sobre os quais não pode exercer qualquer autoridade. Isso implica que somos vítimas de uma situação. Nós não escolhemos esses genes, nós os recebemos no nascimento e eles programam o que vai acontecer”. Contudo, ele conseguiu provar o contrário.

“Eu peguei em três grupos de células e coloquei em três pratos, e mudei o meio de crescimento e os componentes ambientais em cada um deles. Então verifiquei que numa das placas se formou o osso, noutra músculo e, noutra, células liposas. O que controlava o destino de cada uma delas se fossem geneticamente idênticas? Isso mostra que os genes não controlam tudo, é o ambiente”, disse.

Segundo Bruce, os medicamentos não só não fazem bem ao ser humano, como até podem piorar a situação.

“Eles dão-nos remédios para a doença, mas na maioria das vezes causam mais problemas do que benefícios, pois a medicina baseada na farmacologia não compreende como toda a bioquímica do organismo está interrelacionada. Quando tomo uma pílula química e a insiro no meu corpo, ela não afeta apenas o lugar onde tenho o problema, mas afeta muitas outras coisas ao mesmo tempo. Estes são os chamados “efeitos colaterais”. Mas, na realidade, esses efeitos não são secundários, mas diretos”, explicou.

Na realidade, os pensamentos são muito mais poderosos em relação ao nosso bem-estar, podendo mesmo curar qualquer mal, seja do corpo, da mente ou do espírito. “Se você olhar dentro do átomo, existem elétrons, prótons, nêutrons”. E o que tem dentro? Energia. A ciência mais recente indica que o corpo responde à física quântica, não à newtoniana. A mente é energia. Quando pensas, transmites energia; e os pensamentos são mais poderosos que a química. Isso, é claro, é muito inconveniente para as empresas farmacêuticas globais, porque, se esse postulado fosse aceito, não poderiam vender os seus produtos”, esclarece o revolucionário Lipton.

Assim sendo, o melhor é manteres um pensamento positivo, não só em relação a ti como á própria vida. Vais ver que te vais sentir muito melhor, pois a cura de todos os teus problemas está dentro de ti. Na tua força. Na tua positividade. Na tua energia.

Fonte: Elainne Urives

Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM



COMENTÁRIOS