Entre 6 e 16 anos, as crianças na Dinamarca são ensinadas a entender os outros e a confiar que podem contar com os outros.

Com o mundo se aproximando de crises e problemas sociais de todos os tipos, as pessoas tendem a olhar para países que parecem ter seus os problemas sob controle, procurando inspiração ou ideias para enfrentar os seus próprios problemas.

O setor do mundo que todos assumiram ser o que parece ter as melhores respostas para os problemas do mundo é o norte da Europa, particularmente a Dinamarca e a península escandinava. Se alguém passa um tempo na internet, não demorará muito para encontrar histórias e notícias sobre coisas que essas pessoas fizeram de maneira diferente, obtendo resultados impressionantes.

Todos sabemos que a Dinamarca acumula várias posições altas nos indicadores mundiais, inclusive sendo um dos países mais felizes do mundo.

O outro onde eles estão sempre entre os melhores é a qualidade de sua educação. Os dinamarqueses fizeram mudanças muito drásticas nos seus modelos educacionais, enfatizando o aprendizagem das crianças.

Um dos detalhes mais marcantes do modelo educacional dinamarquês é que eles dão importância à educação de crianças como seres humanos e como parte da sociedade. Para isso, eles têm aulas especializadas para desenvolver algumas habilidades que há muito são indicadas como chaves para uma boa convivência entre as pessoas.

As mais notáveis ​​são suas aulas de empatia. Crianças entre 6 e 16 anos têm uma hora por semana, são sentadas e orientadas a desenvolver a capacidade de cuidar de outras pessoas.

Especificamente, a classe divide-se em habilidades desenvolvidas para colocar as crianças em situações em que aprendem a desenvolver e valorizar a empatia com os seus colegas. Uma a uma, as crianças são convidadas a discutir os problemas das suas vidas, com os restantes colegas de turma.

Com a ajuda do professor, as crianças procuram maneiras de resolver os problemas de cada criança, enquanto vêem maneiras criativas e fundamentadas de lidar com situações difíceis.

O importante é que as crianças percebam que os problemas que sofrem são particulares para elas, mas gerais para todos.

Por esse motivo, eles não devem ter medo de ficar vulneráveis ​​ou incapazes de lidar com uma situação difícil. Parte do que a empatia precisa para funcionar bem é ter confiança para se abrir com nossos problemas, sem medo de ser julgado.

Finalmente, as vantagens e bons resultados é que eles dão tempo para tratar os problemas que em outras partes do mundo não damos importância. Matemática e letras são fundamentais, mas nada nada é mais importante do que saber viver com os outros.

Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM




COMENTÁRIOS