Se estivesses na praia com a tua família, provavelmente ficarias de olho nos teus filhos porque sabes que a água é imprevisível e as marés são fortes. A praia é um lugar maravilhoso para férias por causa da areia, sol e mar. É revigorante mas também pode ser um local que até certo ponto convida-te ao risco.

Os pais mais atentos sabem que nem sempre podem ter os olhos sobre os seus filhos, e alguns dos pais, mesmo aquelas mais cuidadosos, já sofreu com situações que podem ocorrer nesses breves momentos de distracção.

Uma mãe na praia de Sabaudia, na Itália, quase sofreu esse tipo de perda quando sua filha de 10 anos foi levada para o mar. Incapaz de combater a corrente violenta, a jovem gritou enquanto escorregava sob as ondas. A mãe distraiu-se durante breves momentos, mas felizmente para a criança haviam pessoas a prestar atenção.

Valerio Catoia, um jovem de 17 anos de idade que sofre de síndrome de Down, viu a menina de 10 anos, bem como uma outra menina de 14 anos, a serem arrastadas na onda do Mar Tirreno.

As duas meninas gritaram por socorro, e o rapaz agiu logo de imediato.

O pai de Valerio atravessou a praia com o seu filho, em o objectivo de resgatar as meninas que estavam a correr perigo de vida. Os dois mergulharam no mar depois em direcção às vitimas, muito antes de os nadadores salvadores se aproximarem.

Na maioria dos casos, isto é considerado uma atitude imprudente, pois apenas os nadadores salvadores podem agir no que toca ao salvamento de pessoas em risco, pois tem formação para actuar nestas situações. No entanto estes dois heróis não pensaram duas vezes e colocaram a sua vida e risco para poder salvar duas crianças.

Eles tiveram de agir rapidamente porque a menina mais nova estava debaixo de água à muito tempo. Então Valerio nadava desde os 3 anos de idade e competia regularmente, até ganhou uma medalha nas Olimpíadas Especiais. Ele além disso também frequentou um curso de primeiros socorros, portanto após resgatar a menina soube bem como aturar para a menina sobreviver.

Mas o mais estranho aconteceu no fim deste jovem ter salvado a menina. A mãe na menina de 10 anos ao invés de ficar agradecida desprezou completamente o jovem que a salvou alegando que foi um acto de irresponsabilidade e que a filha podia ter morrido porque ele devia deixar trabalhar quem está ali responsável pelas funções de salvamento.

Felizmente todos os outros que estavam presentes na praia aplaudiram Valerio e a sua atitude de herói. Mais tarde, até o ex-primeiro-ministro, Matteo Renzi, afirmou que a Itália deveria se orgulhar de tamanha bravura.

O ministro do desporto, Lucca Lotti, atribuiu a Valerio o prémio “Campeão de Solidariedade da Itália” dando-lhe uma medalha e uma placa.

Quanto a Valerio, afirma que, apesar deste mediatismo, e que as pessoas o venerem, vai continua a ser a pessoa que sempre foi até agora, continuar a treinar para conseguir concorrer aos Jogos Paralímpicos que é o seu grande sonho de vida.

Posted by Valerio Catoia on Tuesday, August 7, 2018

Fonte: Western Journal

Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM



COMENTÁRIOS