Muitas pessoas sentem um cansaço constante e vontade de dormir, contudo, não ligam muito achando que se trata apenas de uma consequência de uma vida agitada e dia-a-dia stressante. A verdade é que muitas vezes essa “preguiça” extrema é sinal de síndrome da fadiga crónica e isso é uma doença que precisa de tratamento.

Para quem não sabe, o síndrome da fadiga crónica é uma doença caracterizada pela fadiga extrema, que não tem explicação por qualquer condição médica subjacente.

Por isso, se te sentes cansada constantemente e só sentes vontade de dormir a toda a hora, então presta bem atenção às seguintes causas e procura ajuda especializada.

Infecções virais

Várias pessoas acabam por desenvolver a síndrome da fadiga crónica depois de terem sofrido uma infecção viral, que levaram a uma gripe, resfriado, sinusite, entre outras doenças.

Problemas no sistema imunológico

Apesar de alguns médicos terem verificado que o sistema imunológico de pessoas que sofrem de síndrome da fadiga crónica parece ser mais fraco que o de pessoas totalmente saudáveis, a verdade é que não têm a certeza se essa deficiência é suficiente para causar o transtorno. Ainda assim não deixa de ser interessante a “coincidência”.

Desequilíbrios hormonais

As pessoas que sofrem deste a síndrome também apresentam os níveis de hormônio em quantidades anormais na corrente sanguínea – principalmente os que são produzidos pelo hipotálamo, pela hipófise ou pelas glândulas suprarrenais.

Fatores de risco

  • Idade

A síndrome da fadiga crónica pode ocorrer em qualquer idade, mas é mais comum em pessoas entre os 40 e os 50 anos.

  • Género

Pessoas do sexo feminino são mais comumente afetadas pela síndrome da fadiga crónica do que pessoas do sexo masculino.

  • Stress

Uma grande carga de stress no dia-a-dia parece estar ligada à ocorrência do síndrome da fadiga crónica.

Sintomas

  • Perda de memória ou de concentração
  • Garganta inflamada
  • Aumento dos gânglios linfáticos no pescoço ou nas axilas
  • Dor muscular inexplicável
  • Dor nas articulações, principalmente quando a dor passa de uma articulação para outra, sem apresentar, no entanto, nenhum sinal de inchaço ou vermelhidão na área afetada
  • Dor de cabeça
  • Sono recorrente e intermitente
  • Exaustão extrema que dura mais de 24 horas após o exercício físico ou mental

Este artigo não dispensa a procura de ajuda médica e especialista, sendo apenas meramente informativo.

Fonte: Minha Vida

Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM



COMENTÁRIOS