Sou apenas uma voz no meio de tantas, uma voz que abre a televisão e que se revolta com a actualidade que o mundo enfrenta.

Todas as desgraças que hoje vemos sempre existiram, muitas escondidas atrás dos holofotes mas estavam lá…

Existiram sempre vozes que nunca se calaram mas o mundo de hoje vai de mau a pior e observarmos sem protestar não vai melhorar em nada.

“(…) a união faz a força não é o que dizem?”

As nossas palavras de revolta não vão mudar o mundo nem acabar com leis absurdas mas serão a prova que ainda existem pessoas que se importam com o rumo que as coisas estão a levar, a união faz a força não é o que dizem? Mesmo que a vitória seja incerta, o primeiro passo para lá chegar é a união, a diversidade e a aceitação.

Esta união não deve acontecer apenas entre as pessoas que estão perto de nós, não apenas dentro dos países mas entre países, povos e indivíduos. Só assim podemos levar o bem para a frente e perceber qual o caminho mais certo para diminuir o mal. Sim, diminuir… infelizmente acho que já chegamos a um ponto em que o que temos a salvar já não é muito.

“(…) basta conhecer o mínimo do passado e acompanhar o presente para perceber que o futuro não vai ser digno(…)”

Não tenho voto na matéria e não percebo muito de politica mas basta conhecer o mínimo do passado e acompanhar o presente para perceber que o futuro não vai ser digno desse nome. Muitas das coisas que estão acontecer agora já aconteceram antes, não aconteceram de uma forma idêntica mas aconteceram e nós não podemos ignorar isso.

Atacar outras religiões pelo facto de serem diferentes, guerras entre países e tantas outras coisas não serão atitudes de egoísmo e de preconceito? Descriminar uma pessoa pelas suas origem ou pelas suas convicções morais não seria uma coisa inaceitável neste mundo moderno?

Não me parece que seja uma atitude de muita moral proibir que pessoas lutem por uma vida melhor, não vos passa pela cabeça que fugirem dos seus países já seja uma batalha suficientemente dura e que merece recompensa? Nenhum de nós está imune de passar por uma situação dessas… proibir ligações com países onde a maioria é terrorista não vai impedir que os ataques continuem, é injusto fazer um julgamento e condenar uma nação com base nas atitudes da maioria.

Se assim fosse muitos dos países estariam isolados, pois não existe um único país que não passe por problemas.

E o nosso país? Também não fica imune nesta situação, são cada vez mais as coisas que nos revoltam e que nos fazem perguntar onde estávamos com a cabeça ao ignorar certos factos que levaram as coisas a acontecer.

“(…) e depois existem as pessoas que não baixam os braços(…)”

Pode ser mera ingenuidade minha mas eu acredito que as coisas só levam um rumo negativo quando não nos apercebemos a tempo e a horas o que pode estar para vir. Se algum dia achei que o ser humano ainda tinha salvação começo a perder a esperança cada vez que vejo uma noticia chocante… e depois existem as pessoas que não baixam os braços e que fazem com que milhares se levantem outra vez e voltem a acreditar.

As provas disso estão a nossa vista em cada manifestação, em cada comentário e em cada pessoa que não se cala e que protesta mesmo sendo um simples individuo sem importância na vida publica… as vezes uma voz pouco ouvida faz a diferença mesmo que não pareça.

Existem alturas em que parece que já não vale a pena mas pelo menos manter a voz ativa leva-nos a estar com os olhos abertos para o mundo.

Podes ser apenas uma voz entre tantas outras, uma voz que mal se ouve e que quando se ouve é ouvida por poucos mas se te revolta, não te cales!

PORDiana Lima Machado
Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM