A depressão é das poucas doenças que não são visíveis e infelizmente é bem silenciosa, levando muitas vezes à dor auto-infligida ou, nos seus casos mais extremos, ao suicídio.

Felizmente existe quem consiga ultrapassar esta doença, no entanto, para quem se auto-mutilou, as marcas ficam para sempre no seu corpo.

Foi a pensar nestas pessoas que o tatuador e artista Ryan Sean K decidiu criar um projecto ao qual deu o nome de “Scars Behind Beauty” (tradução: “Cicatrizes por detrás da Beleza”) onde disponibiliza o seu serviço gratuitamente uma vez por semana a quem pretenda disfarçar marcas de auto-mutilação.

Este projecto surgiu depois de uma mulher o ter procurado para que este pudesse cobrir algumas das suas cicatrizes auto-infligidas.

Durante o trabalho, Ryan foi falando com a mulher e ouvindo a sua história, acabando por não lhe cobrar o serviço ao perceber o quão importante era para si o seu trabalho.

Recentemente, Ryan recebeu um pedido especial de uma mãe que pretendia ajudar a filha, Aoife Lovett, de 19 anos, que desde cedo se debate contra a depressão e auto-mutilação. Apesar de Aoife já ter melhorado, as marcas das cicatrizes tornam a recuperação mais difícil, recordando-a constantemente do que fazia.

Aoife já havia decidido há algum tempo cobrir as cicatrizes com tatuagens, no entanto, nenhum artista aceitou fazê-lo – excepto Ryan, que com um enorme profissionalismo e solidariedade, devolveu a Aoife a sua confiança e deu-lhe um novo sentimento de liberdade.

Estes são alguns dos seus trabalhos:

Felizmente, Ryan não é o único, sendo que outros artistas como Poppy Seger e Whitney Develle também decidiram ajudar as pessoas a ultrapassarem uma fase menos boa das suas vidas com a sua arte.

Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM