Poliomielite é uma doença infecciosa viral aguda transmitida de pessoa a pessoa que consiste na inflamação da substância cinzenta da medula espinhal, provocando apneia, a qual requer ventilação mecânica com o uso de um respirador artificial.

Felizmente desde 1955 – ano em que foi desenvolvida uma vacina preventiva – que não existe um surto de poliomielite, no entanto, ainda existe quem sofra das suas consequências.

Apesar de ter sobrevivido à doença quando tinha apenas cinco anos de idade, Paul Alexander, de Dallas, Texas, acabou por ficar com problemas respiratórios, sendo que na altura a única solução era uma máquina chamada “Pulmão de Aço”, onde as pessoas tinham de se deitar no seu interior para que pudessem respirar normalmente.

Contudo, enquanto que a maioria das vítimas pararam de utilizar a máquina ao fim de alguns anos, Paul continuou até aos dias de hoje, sendo uma das últimas pessoas a usar a mesma. A verdade é que não só os seus pulmões ficaram bastante danificados pela doença como Paul também acabou por ficar paralisado do pescoço para baixo.

Felizmente esta sua condição não lhe limitou muito a vida, sendo que ainda conseguiu tirar o curso de Direito na Universidade do Texas, que inicialmente não gostou muito da ideia de Paul levar a máquina consigo, devido ao seu enorme tamanho.

Neste momento, Paul encontra-se a escrever um livro sobre a sua vida. E perguntas tu: “Mas como, se ele não só não se mexe da cintura para baixo como ainda por cima para o seu dia dentro de uma máquina gigante?”. Pois a resposta é: “Como uma caneta na boca!”

Um verdadeiro exemplo de força e coragem, provando que por muitas dificuldades que surjam na vida, temos que saber dar a volta por cima e ultrapassá-las da melhor forma que soubermos!

Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM