Para te dizer que gosto muito de ti, que gostava que as coisas tivessem sido diferentes, ou que agradeço por terem sido assim. As pessoas são diferentes, e valorizo essa diferença. Mas não foi diferente para mim, tal como não foi para ti. Numa igualdade que crescia na rotina do dia a dia, na leveza do amanhecer, ou na loucura do anoitecer. Se não tivesse sido assim, talvez não valorizasse esse acontecer.

Pelo que já fui, sou, pelo que já foste e és, produtiva a nossa história, ou linhas que não escritas, fazem morada no meu coração. A importância da simplicidade, a inocência do segredo. Fica na memória aquilo que digo, na cabeça o que penso, e nas palavras a verdade de mim.

“Porque a felicidade vive dentro de nós.”

Conheces-me, conheço-te, e ficámos nesse conhecer que de bom me trouxe mais do que os textos que escrevo, a lembrança do verão que, viveu e vive dentro de nós. Porque sei que não sabes como vai ser a tua vida, que lutas pelo que queres muitas vezes sem um rumo definido mas com um fim objetivo.

Porque precisas de crescer, tal como eu tambem preciso, de aprender, de viver. Porque precisas de ti, e eu preciso de mim. Porque a felicidade vive dentro de nós. E a certeza no caminho que traço, agarrada a sonhos que comigo faço, trazem também um pouco de ti. Fica para sempre, e vai ficar, esse conhecer que agora te falo.

“Quero que sejas feliz, e quero que me desejes o mesmo.”

Este sentimento, meu. Ficas em mim, como espero ficar em ti. E, sabendo o que já sei, volto-te a dizer “por ti um dia esperei”. Quero que sejas feliz, e quero que me desejes o mesmo.

Um dia, quando formos grandes, queres namorar comigo?

VÊ TAMBÉM