Um dos maiores medos de todos os pais é que os seus filhos nasçam com algum problema de saúde, no entanto apesar de todos os exames que são feitos durante a gravidez, alguns dos problemas só são detectados depois do nascimento.

Foi o caso da pequena Braylee Frankfort que aos 2 meses foi diagnosticada com icterícia depois dos seus pais, Amanda e Justin, a terem levado ao hospital assim que se aperceberam que os olhos da mesma estavam amarelados. Pensando não ser nada de muito grave, os médicos acabaram mais tarde por confirmarem que na realidade, o problema era mais grave do que pensavam inicialmente – a pequena Braylee havia nascido sem vesícula biliar, fazendo com que a bilís se espalhassem por todo o seu corpo.

Para que esta pudesse ser drenada, os médicos operaram de imediato a bebé e ligaram o seu intestino directamente ao fígado, no entanto, Braylee continuava a piorar com o seu corpo a ficar cada vez mais inchado, chegando mesmo ao ponto da sua barriga ficar do tamanho de uma bola.

Um transplante de fígado urgente era a sua única solução e devido à gravidade da situação, Braylee foi colocada no topo da lista de espera.

Justin, preocupado que o novo fígado não chegasse a tempo, decidiu oferecer parte do seu para salvar a sua bebé, apesar de todos os riscos envolvidos.

Quando este já se encontrava na sala de operações, o hospital recebeu uma excelente notícia: Justin já não precisava de se sujeitar à operação pois haviam encontrado um doador que tinha acabado de falecer, deixando os seus órgãos disponíveis para serem doados a crianças necessitadas, como era o caso de Braylee.

O transplante foi de tal forma um sucesso com o corpo de Braylee a receber de forma positiva o novo fígado que a sua pele começou logo a mudar de cor.

Hoje em dia, a pequena Braylee é uma bebé de 19 meses complemente saudável e cheia de vida e alegria!

FONTELittleThings
Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM