Já se sentiu confuso (a)? Porque eu estou!

Nós só nos decepcionamos ou nos magoamos com pessoas que significaram algo para nós, pessoas no qual nunca sentimos nada não há como ela nos decepcionarem ou magoarem

O quão complexo é o amor, uma palavra de quatro letras, porém uma infinidade de sentidos. A=Amizade, M= Melosidade, O=Orgulho, R=Responsabilidade ou A=Assustador, M=Medo, O=Ódio, R=Receio. Ah senhor amor, houve um momento que cheguei a pensar que o senhor era um conto de fadas ou só sortudos conseguiam encontra-lo, vivenciá-lo e senti-lo.

“Você me assustava muito, era tão puro, inocente e transparente que parecia ser mentira.”

Mas sem eu querer, sem ter que procurar como uma caça ao tesouro, você me achou e eu no inicio, admito: não te queria. Você me assustava muito, era tão puro, inocente e transparente que parecia ser mentira. Pois fique sabendo senhor amor que antes de conhecer-te ouvia histórias, as pessoas falam muito de você e cada uma diz algo diferente da outra, algumas histórias eram felizes outras tristes.

Contudo em todas as histórias tinha algo em comum, todos diziam a mesma coisa, que você é: lindo. O que me impugnava era: se és tão lindo quanto dizem como pode haver histórias tristes a seu respeito?

“Ódio é atraído por mágoa, dor, rancor e muitas vezes pessoas alimentam esses sentimentos de forma inconsciente.”

Compreendo que para alguns você pode ser assustador por causa de suas histórias tristes, fazendo assim com que alguns tenham medo, mas não medo do senhor e sim medo de se tornarem protagonistas de uma história triste fazendo com que alguns tenham receio de conhecer-te. Contudo o que não compreendo é o porquê do ódio? Houve amor certo?! Então pra que odiar? Ódio é atraído por mágoa, dor, rancor e muitas vezes pessoas alimentam esses sentimentos de forma inconsciente. Ah senhor amor, seu danado

És como água parada, aparenta ser tão indefeso, mas, na verdade és um rio bem fundo e com correntezas fortes onde muitos se afogam e poucos encontram um equilíbrio, nessa aventura que é mergulhar nesse rio desconhecido. Como eu disse antes o senhor já bateu em minha porta e foi convidado a entrar em minha morada e assim como em uma casa foi aos poucos permitido a conhecer cómodo por cómodo.

“(…) fez da minha história feliz uma história triste e fez com que eu conhecesse a terrível gangue.”

Só que no meu caso estava com tanta pressa que logo foste embora de minha morada. Foi um hóspede que até tinha intenções de fazer de minha morada a sua também, porém as estruturas da casa não estavam de seu agrado e foste embora em busca de uma morada de conforto melhor. Até ai tudo bem, fez da minha história feliz uma história triste e fez com que eu conhecesse a terrível gangue.

A valentona da dor que te bate até estar no chão, à ladra da mágoa que rouba as lembranças boas e o marido dela, o rancor que é o manipulador, faz com que só tenhas pensamentos ruins e lembranças que já o magoaram um dia, pra que não reste nenhum pensamento bom e o assassino: o ódio que pra finalizar tenta matar a linda história de amor que já viveste com alguém um dia, mas, que não esta mais contigo.

“(…) acabo rindo por lembrar-me de momentos engraçados que tive em minha história de amor (…)”

Mas não se preocupe senhor amor, eu fui forte e não deixei que essa gangue fizesse de minha morada a deles também, foram embora tão rápido quanto o senhor. Por isso a minha história de amor não é tão triste assim, pois às vezes lembro-me dela e acabo rindo por lembrar-me de momentos engraçados que tive em minha história de amor, momentos lindos que muitas fezes pareciam mágicos.

Mas senhor amor temo que a pessoa que viveu essa história junto a mim possa estar sendo refém dessa gangue sem mesmo perceber. Por que tenho a impressão de que se ela tivesse super poderes me apagaria de sua mente, pra se livrar de mim de uma vez por todas, como se tudo o que havíamos vivido não importasse mais e eu tivesse me tornado a maior decepção dessa pessoa.

“É olhar uma foto antiga e não sentir nada além de gratidão (…)”

As pessoas interpretam errada a frase “seguir em frente”, não é excluir alguém da sua vida e sim supera-la, pois, esse alguém já fez parte da sua vida. É olhar uma foto antiga e não sentir nada além de gratidão, de um “obrigado por ter permitido que eu te conhecesse e vivesse uma história de amor com você que pareceu que iria ser infinita, mas que teve um fim.”

Você permitiu que a pessoa entrasse que ela fizesse parte da sua vida, ai essa pessoa passa a não corresponder mais a suas expectativas e resolve desistir dela e tentar apaga-la da sua vida como se apaga uma musica antiga que não escuta mais?! Essa forma de agir esta realmente certa? Mas afinal o que é certo e errado não é mesmo?!

“É certo ou errado assassinar o amor que sente por uma pessoa, por legitima defesa (…)?”

É certo ou errado não querer demonstrar demais sentimentos por alguém por saber que é fraco demais pra sofrer por amor, que tem o coração frágil demais que se quebra por qualquer pessoa? É certo ou errado assassinar o amor que sente por uma pessoa, por legitima defesa, pois, decidiu não querer mais essa pessoa em sua vida, pessoa no qual amou muito e até um tiro levaria por ela? Quem esta certa e quem esta errada? Temos duas vítimas com depoimentos diferentes e a arma do crime que é o amor. Como concluir esse caso?

“- Somos todos corajosos quando decidimos sentir amor, mas no decorrer ficamos loucos e desesperados pra não sofrer por causa dele -“

PORSafira Silva
Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM