Olá. Escrevo-te para te comunicar uma decisão importante que tomei, pensando somente em ti, e sabes que mais? Nunca te vou deixar ir, não vou!

Não quero ver-te fugir da nossa história. Não quero perder-te das músicas com que choro por ti, dos álbuns de fotografias nem da nossa câmara de filmar. Não quero perder-te dos meus lençóis nem dos meus cozinhados desastrados dos quais só sabias reclamar.

Não te quero perder das minhas roupas, e do cheiro delicioso que deixas-te nelas. Não te quero deixar desaparecer dos quatro cantos desta casa. Não te quero deixar ir deste meu mundo embora!

“Só quero ficar contigo até à minha eternidade, guardar-te para sempre.”

Fazes com que tudo pareça tão mais claro do que seria se outrora nem te tivesse conhecido. És tão meu, sabias? e eu não posso deixar-te partir de mim, não posso desistir de ti. Só quero ficar contigo até à minha eternidade, guardar-te para sempre. Será que posso?

Deixa-me contar-te o quanto é bom respirar e suspirar por ti em todos os minutos da minha vida. Deixa-me dizer-te o quanto anseio por voltar a ver-te, o quanto vou contando os dias, os meses, os anos, até que isso volte a acontecer, e o quanto é bom aninhar-me nos teus braços quando dormes comigo. Sabias disso?!

“Não posso deixar-te caminhar nesta vida ténue sem mim, não completamente!”

Olho para ti e fico a imaginar o nosso futuro juntos, e, ah! Nem sabes como é bom poder sonhar contigo, para sempre! Gosto tanto de não querer que te vás embora de tudo aquilo que já foi nosso. Não posso deixar-te caminhar nesta vida ténue sem mim, não completamente!

Ainda te vou provar que sou a mulher mais caprichosa e sensível deste mundo, vais ver, e mesmo por isso, não te quero deixar ir! Só queria informar-te para que não te percas do nosso caminho, porque algum dia terás que voltar até ao ponto onde nos deixas-te estacionar.

“És tão meu, e mesmo que aos olhos alheios isso seja errado, para mim é o mais certo, não querer deixar-te ir.”

Não quero nem pretendo deixar-te fugir da minha alma, muito menos pretendo deixar-te apagar do meu coração. És tão meu, e mesmo que aos olhos alheios isso seja errado, para mim é o mais certo, não querer deixar-te ir.

Nunca te vou deixar ir! Recuso-me! Recusar-me-ei até que não mais restem gotas de sangue em mim, correndo pelas minhas veias, ou até que não mais possa sacudir a poeira deste corpo!

Não te vai custar nada! Só quero ser tua para sempre, tua no teu coração. Posso? Mesmo que não possa, do meu não te deixo ir! E nunca, Nunca mesmo! Que fique claro!

PORAndreia P.
Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM