Que se lixe a pressão de ter que disfarçar a minha cara de vou-fingir- demência-para- não-perceberes-que-estou- a-morrer- por-dentro- só-de- te-ouvir. Que se lixe a pressão social de estar sempre a justificar-me porque não quero alguém por perto. Não, não tenho um problema de atitude, tenho um problema que se chama não gosto de pessoas sem noção que fingem não saber que são chatas, inconvenientes e insensíveis. Não, não tenho que ser compreensiva e tolerante porque gente sem noção não valoriza o esforço que faço para não os mandar à merda de uma vez.

Gente sem noção tem um plafond de estupidez que se esgota quando atinge o limite máximo da minha paciência. Sinto o transbordar de cada bestialidade por cada poro da minha pele. Sofro ataques de pânico com cada falha de bom senso, com cada demonstração de inutilidade. Quando estamos perante gente sem noção temos sim que fazer com que eles percebam que lhes falta a noção, caso contrário nunca vão perceber que não a têm!

“(…) estão a impingir-nos gigantescos fretes mesmo ali na mesa da nossa sala de estar.”

A pessoas que parasitam a vida alheia dá-se distância e não atenção. Não se alimenta pessoas-parasitas-sem- noção-bestas. Não se leva para casa como cãezinhos abandonados a precisar de amor e de um lar. Não se partilha com eles as nossas camas, nem se oferece comidinha todos os dias. Eles ficam rapidamente confortáveis e quase sem darmos por isso estão a impingir-nos gigantescos fretes mesmo ali na mesa da nossa sala de estar.

Existem pessoas perfeitamente normais que morrem de fretes provocados por esse tipo de pessoa. Eu por exemplo morro pelo menos uma ou duas vezes por semana. Eu bem tento impedi-los de vomitarem conversas da treta que ninguém quer saber. Eu escondo-me para não ter que lidar com aquelas caras de vou-ser- chato-e- inconveniente-só- para-ver- o-sofrimento- nos-teus- olhos, não adianta eles vencem-me pelo cansaço. Parte de mim morre sim em cada frete, em cada confronto, em cada minuto desperdiçado.

“(…) estimo bem que se lixem mas sem mim porque eu cá não gosto de misturas, nem suporto gente sem noção.”

Ou eu estou a ficar paranoica ou eles estão a ganhar força multiplicando-se e misturando-se entre nós. Por favor pessoas-parasitas- sem-noção- bestas-chatas- e-inconvenientes que são provocadoras de fretes e de sofrimento alheio estimo bem que se lixem mas sem mim porque eu cá não gosto de misturas, nem suporto gente sem noção.

A gente sem noção dá-se noção, não moral.

PORSusana Correia
Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM