Samantha, uma mulher chinesa que vive actualmente nos EUA, mal cabia em si de felicidade quando soube que estava grávida logo um mês após o seu casamento, no entanto, o que tinha tudo para ser uma das melhores experiências da sua vida acabou por se transformar em algo absolutamente aterrador.

Quando às sete semanas o médico ainda não conseguia ver o feto através da ecografia, Samantha soube que talvez tivesse ecciese (gravidez fora do útero) e foi aconselhada a abortar, mas ela acabou por insistir em esperar mais umas semanas, resultado assim em algo surpreendente: não só estava mesmo grávida, como eram gémeos!

Aliviados e extremamente felizes com a boa nova, o casal decidiu mesmo assim mudar de médico. No entanto, quando foram realizar uma nova ecografia, o novo médico disse-lhes algo que eles nunca estava à espera. Na realidade, não eram gémeos, mas sim trigémeos!!

Um misto de sentimento começou a surgir, estando felizes por serem três bebés, mas ao mesmo tempo assustados com a responsabilidade que daí advinha. Mas as surpresas não acabaram por aqui.

Sendo considerada uma gravidez de alto risco, a Samantha foi transferida para o Lucile Parkard Children Hospital na 12ª semana de gravidez e o médico recomendou que voltassem a fazer uma nova ecografia só por uma questão de segurança. Após 20 minutos a ver todos os detalhes que apareciam no ecrã, o médico acabou por revelar que afinal eram quatro bebés.

Pela primeira vez Samantha sentiu medo, não por si, mas pelas crianças que se estavam a desenvolver, tendo perfeita consciência de que uma gravidez de quatro bebés poderia vir a ser prejudicial.

No entanto, apesar do médico ter aconselhado a fazer uma redução de gravidez multifetal, um processo que iria reduzir os quadrigémeos a gémeos por uma questão de segurança, Samantha recusou e decidiu levar a gravidez até ao fim, achando não ser justo para com os bebés.

Depois de passar um mês inteiro no hospital sujeita a medicação e tratamentos para manter os seus quatro bebés, os quádruplos acabaram por nascer prematuramente às 26 semanas, via cesariana, no dia 21 de outubro de 2010.

Apesar do parto ter corrido bem, as quatro bebés – Audrey, Emma, Natalia e Isabelle – acabaram por nascer com Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS) e Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), doenças provocadas pela prematuridade, que as faz ter sérios problemas em dormir, comer, respirar e escutar.

Contudo, mesmo com todos os problemas que surgiram e que possam surgir no futuro, Samantha e o seu marido têm fé que tudo se irá resolver com o amor que existe na família, pois o sorriso e a alegria constante das meninas faz com que tenham a certeza que todo o sofrimento valeu a pena 🙂

VÊ TAMBÉM