Os meus olhos te alcançam na multidão. Encantadora e perfeita. Sem exageros na maquiagem. Linda como só você sabe ser. Vestida com um vestido branco, estampado com flores azuis dispersas. A saudade se acende dentro de mim.

Noto, enquanto conversa num grupinho de amigas, o esmalte lilás que colore suas unhas. Era a minha cor favorita. Um nó cresce na minha garganta. Sinto vontade de fugir rumo ao desconhecido. Mas o amor que ainda sinto por você, me faz ficar paralisado, relembrando o quanto fui feliz ao teu lado. Entendendo o quanto de você existe em mim.

Já não sou o que era, eu mudei, eu sobrevivo.

Então eu ouço o seu riso, o mesmo que outrora enchia meus olhos de alegria, hoje me castigam. A sua risada ecoa pelo ar, fazendo a minha visão ficar embaçada. Não suporto ouvir teu riso longe do meu. Saber que você é feliz sem mim é dolorido demais. Não poder correr para os teus braços e te beijar até ficar sem ar, ser alheio a tudo o que diz respeito a você, dói demais.

Por fim, antes de me virar e seguir meu caminho, vejo alguém se aproximar. Alguém que te envolve num abraço e te beija a testa. Outras mãos que não são as minhas, outra boca que não é a minha. Eu respiro e tento me controlar. O homem que te abraça ri, sorri e parece feliz.

Logo ele te beija e isso para mim é o fim.

Eu viro de costas, tiro a aliança do meu dedo e a jogo no chão. Chegamos ao fim. Acabou. Você consegue muito bem viver sem mim. Sigo para a saída com as lágrimas cobrindo meu rosto. Desnorteado, sem saber o que me espera da porta para fora. Deixando para trás, jogada aos pés de qualquer um, a promessa que mantive até aqui. Mas hoje eu sei, a nossa história acabou e a promessa não se cumpriu.

Imagem de capa: JPagetRFPhotos, Shutterstock

PORBruno G. Weldt
Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM