Parei de escrever, parei de ler. Parei de fazer muitas coisas que me faziam bem. Parei tudo. Mas não por ti. Foi por mim.

Fiz com que o tempo parasse. O tempo que é meu. Meu e de mais ninguém. Parei, pensei e retomei. A ler, a estudar, a escrever, a dançar. A viver.

“A CADA DIA SURGE UMA NOVA VONTADE, UM NOVO MOTIVO.”

Ontem escrevia sobre um amor a dois. Hoje escrevo sobre outro amor. Um amor maior e melhor. O que nutro por mim. Hoje retomo à normalidade. Hoje volto a mim, àquilo que fui. E vou percebendo e descobrindo o que serei. A cada dia surge uma nova vontade, um novo motivo. Descortino sempre um pouco mais do que sou e do que quero ser. E compreendo melhor aquilo que fui.

Disseram-me que o tempo tudo cura. A minha cabeça gritava “TRETAS! Dizes isso porque estás de fora!”. Mas ao mesmo tempo a calma invadia-me por saber que o que me diziam era verdade. É verdade. Basta aceitar. E soube que aceitei quando descobri que aprendi a estar comigo. Aprendi que sou muito mais do que aquilo em que cria. Mais forte. E por isso sei que trouxe ao de cima uma melhor versão de mim. Hoje, antes de qualquer outra pessoa/coisa, eu sou a minha maior inspiração.

“É ISSO QUE FAZ DE MIM O QUE SOU.”

É isto que podemos tirar das experiências que temos, com quem quer que seja, onde quer que seja. É isso que faz de mim o que sou. O que faz de cada um de nós pessoas únicas. Únicas e maravilhosas.

Hoje sei que sou, efetivamente, uma melhor versão de mim. E não vou abdicar dela por nada.

Imagem de capa: Melpomene, Shutterstock

PORMaria C. de Almeida
Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM