Abigail e Brittany são duas gémeas siamesas que nasceram a partilhar o mesmo corpo e que contradisseram a probabilidade de sobrevivência de apenas 1%, conseguindo chegar à idade adulta.

Quando Patty Hensel, a mãe, entrou em trabalho de parto no dia 7 de março de 1990, nunca imaginou que a sua vida se iria transformar da forma como aconteceu, pensando que iria ter apenas um bebé. No entanto, ao terem surgido complicações durante o parto, os médicos foram obrigados a realizarem uma cesariana e foi então que descobriram que na realidade o bebé que estava a nascer não se tratava de um simples bebé, mas sim de duas gémeas siamesas que partilhavam um só corpo.

Apesar deste fenómeno ser conhecido na medicina como dicefalia, mais comumente conhecido como “duas cabeças” – a existência de duas cabeças no mesmo corpo -, significando que os dois fetos não se desenvolveram suficientemente no útero da mãe, fazendo com que a cabeça, pescoço e, possivelmente, alguns órgãos sejam duplicados, a verdade é que no caso de Abigail e Brittany, o bebé não só tinha duas cabeças, como também dois corações, duas colunas vertebrais, duas gargantas e dois estômagos, sendo que tudo o resto do corpo era compartilhado.

Tendo em conta a fragilidade do seu sistema imunitário, os médicos alertaram os pais de que as duas meninas não iriam sobreviver e que, muito possivelmente, acabariam por falecer passadas algumas horas. Contudo, as horas foram passando e Abigail e Brittany foram ficando cada vez mais fortes e desenvolvidas, acabando por contrariar as probabilidades.

Apesar de lhes ter sido sugerido fazerem uma operação para separar as duas meninas, existia um enorme risco de uma delas – senão ambas – morrerem durante o processo, por isso, os pais acabaram por não aceitar.

Hoje em dia as jovens têm 27 anos e vivem como duas pessoas normais que simplesmente partilham o mesmo corpo. Com duas personalidades completamente diferentes, Abigail e Brittany aprenderam a viver como sendo uma só pessoa – pelo menos fisicamente, sendo que Abigail controla o braço e a perna do lado direito e Brittany os membros do lado esquerdo – intrigando os especialistas que ainda não conseguiram perceber como é que ambas são capazes de terem uma coordenação motora que lhes permite jogar beisebol, voleibol, softball, tocar piano e inclusive conduzir, já que cada uma tem o seu próprio cérebro.

Estas duas irmãs são um verdadeiro milagre da Natureza, tendo conseguido superar todos os desafios que a vida lhes apresentou, e apesar de ninguém saber realmente o que o futuro lhes reserva, de uma coisa elas têm a certeza: seja o que for, elas vão enfrentá-lo juntas e com toda a sua força.

Vê só um pequeno documentário feito pelo canal Discovery sobre a vida destas duas jovens:

Fonte: ntd.tv

Partilhar é cuidar!

VÊ TAMBÉM